domingo, 10 de julho de 2011

POR QUE CHOCAR?

Boa tarde amados!

Primeiramente, não estou falando de ovos. #fiqueclaro!

A quase uma ano atras no divã de minha psicóloga ( sim, lógico que faço terapia, porque vocês acham que sou tão centrada assim? kkkkk -> bicha máááá! ), chegamos a conclusão de que no alto da minha aborrescência eu fazia tudo ao contrário do que me falavam pra fazer, com o único intuito de querer chocar!

Começamos um trabalho em cima do por que eu queria chocar e pasmem, era porque eu era igual aos meus pais, mas não queria ser... coisa de adolescente que tem quase tudo, uma vida saudável, algumas dúzias de bens materiais, bons colégio, e que mesmo assim se acha injustiçado e incompreendido. Sim, hoje vejo o monte de besteiras que fiz, quantas oportunidades desperdiçadas por birra. Por me considerar a invencível, a imortal, a dona da verdade ( que verdade? ou quais verdades? ). Eu era antimoda, andava de preto, odiava qualquer formalidade, qualquer tipo de autoridade, porque no fundo, e não tão fundo assim o que eu queria era chamar a atenção.

Tudo teria sido bem mais simples se tivesse conversado com meus pais, tudo seria mais simples de eu tivesse aceitado que eles tem suas fragilidades, tudo seria mais simples se eu tivesse aceitado que experência de vida conta mais que qualquer conselho de amiga, de artista de televisão , ou história de vida de certos cantores...tudo seria mais simples se eu tivesse aceitado o amor que a minha família tinha/tem pra me dá. E isso tudo sem perder minha originalidade e personalidade.

Sim, personalidade é importante, mas legitimamente construída, JAMAIS COPIADA.

Beijos da Comadres!!!

3 Comments:

Lulu on the sky said...

Ah comadre a gente vive e aprende. Hoje eu faria tanta coisa diferente sabe? Acredito que tudo que acontece serve de lição, evolução pessoal.
Big Beijos

~*Rebeca e Jota Cê*~ said...

Conheço bem essa narrativa.

JC

Luma Rosa said...

Quem não gostaria de retornar no tempo com a cabeça amadurecida? Se os erros servem para nos ensinar, gostaria de ter passado sem eles! Mas dizem que compreendemos os nossos pai só quando não temos mais eles ou quando também somos pais. Bom fim de semana! Beijus,